quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Mazelas que assolam o Tricolor

O SPFC amarga uma gestão incompetente, precedida por uma desonesta, precedida por outra em que o Presidente não estava plenamente são.
Nessas três gestões equivocadas, o SPFC perdeu gente competente, como, por exemplo, Marco Aurelio Cunha, Luiz Rosan, Luiz Cunha, entre outros.
Acordos políticos seguram gente "cega de bola", como AGG, ou que não tem timing, como GVO, que são mantidos, mesmo com resultados ruins.
O clube, quando arregimenta ótimos profissionais, peca fazendo maus contratos, perdendo-os para o mercado como se fora um clube interiorano.
Aposta em jogadores com mau histórico profissional, desinteressados. Aposta em outros, com sérias lesões. Não os renegocia oportunamente.
Não observa bem o mercado. Não aproveita a grande janela nacional, dezembro, quando se sabe quem arrebentou no BR e poderia vir a custo razoável.
Contrata em cima da hora, no afogadilho, tolhendo tempo de preparação e entrosamento. Não se antecipa para suprir saídas inevitáveis.
O mau planejamento e execução geram maus resultados, que podem comprometer o único trabalho com patente evolução, o do departamento de marketing.
Enfim, o SPFC tem problemas graves e abrangentes, sanáveis só com uma nova administração, oxigenada, com gente do ramo e que rompa com o status quo.
Não se discute a são paulinidade dos atuais gestores do SPFC e de seus apoiadores.
Você pode amar aviões, mas isso não o qualifica a pilotá-los.

Nenhum comentário: